Revista Época

Apucarana é destaque nacional em reportagem sobre meio ambiente

Projeto Oásis remunera agricultores que conservam nascentes no município

Da Redação, em Tribuna do Norte
Apucarana é destaque nacional em reportagem sobre meio ambiente

 

O programa de Pagamento por Serviços Ambientais (PSA) desenvolvido em Apucarana, através do Projeto Oásis, foi destaque em reportagem de Bruno Calixto publicada na revista Época desta semana.

Deacordo com a matéria, um dos projetos de PSA em atividade no Brasil é o Projeto Oásis. Lançado em 2006 pela Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, o projeto Oásis atende atualmente quatro municípios (São Paulo, Apucarana, Brumadinho-MG e São Bento do Sul-SC).

Segundo André Ferretti, coordenador do projeto, o programa funciona mais como uma metodologia que tenta resolver uma das maiores dificuldades do PSA: definir quanto vale remunerar determinada área natural.


Clique aqui e leia a matéria na íntegra.

6
Comentário(s)
Publicar
Maria
18h56m PM
Fui na fundação Boticario em Guaraqueçaba pr,, e não existe nada lá, é apenas propaganda desta firma e para pagar menos imposto, furada esta fundação, e ainda virei chacota dos moradores, fundaçao boticario protegendo a mata atlantica, tem gente que acredita em tudo...imagina em Apucarana...kkkkk
  • Reportar
  • Responder
  • curtir comentário
Marília Fernanda
18h56m PM
Quem está pagando isso? Nós. Que tristeza ver que nosso povo não tem consciência sobre o meio ambiente termos que pagar? Isso é sinal de que essas pessoas não deve ter filhos, netos, etc... Eles esstão recebendo dinheiro para conservar o meio ambiente, quando deveriam é receber orinatações técnicas dos orgãos da agricultura. Ia esquecendo aí tem política por que certo candidato a vice tem ligação ou já teve com o sindicato rural.
  • Reportar
  • Responder
  • curtir comentário
FErnando Manosso
18h56m PM
De fato as nascentes dos corpos hídricos encontram-se muito degradadas e precisam de intervenções. E os agricultores precisam de um incentivo e acompanhamento técnico, no entanto, mesmo que os benefícios dessa conservação seja coletivo, não acho justo remunerar o produtor para fazer algo que a lei federal já o obriga a fazer. O mundo está cheio de pessoas movendo campanhas e ações para melhorar o ambiente coletivo, inclusive os recursos hídricos, e não estão recebendo nada por isso. E o mais injusto ou até mesmo incoerente é movimentar esse dinheiro para os agricultores recuperar e conservar as nascentes, ao mesmo tempo em que as autoridades não fiscalizam e não penalizam poluidores rio abaixo.
  • Reportar
  • Responder
  • curtir comentário
Elizabeth
18h56m PM
Como Apucarana pode ser destaque, no Projeto Oasis? basta dar uma volta e verificar por exemplo o Ribeirao Barra Nova em Apucarana como esta poluido. Recentemente o Ribeirao foi visitado por um promotor para analisar a situaçao de tao grave que é a poluição naquele local.
  • Reportar
  • Responder
  • curtir comentário
Paulo jose.
18h56m PM
INDIGNAÇAO TOTAL, e saber que estamos todos juntos procurando sempre melhorar nossas condiçoes de vida, mais temos varios problemas em Apucarana, que estao escancarados como por exp.( nas proximidades do japira, regiao do N H Joao Goulart, tem um antigo curtume, que estes ultimos dias tem queimado alguma coisa , que somente alguem do IBAMA, ou da guarda florestal, deveria ir ate o local para tomar alguma providencia, pois esta queimando a quase uma semana, sufocando todos os moradores daquela regiao, segundo alguns contatos com moradores foi informado que e resto de couro que esta la alguns anos e agora esta sendo queimado, mais a historia estranha fica em relaçao ao horario sempre começa por volta das 9.00 ou 10 hrs. da noite, e se prolonga pela noite inteira, ate o amanhecer, muito estranho ) . Fica aqui um alerta para as autoridades ir ate o local e fazer uma averiguaçao, porque ali ja houve outras denuncias referente ao detritos do curtume, como tambem de uma lavanderia que tem no local, sempre em horarios noturnos sao despejados produtos quimicos insuportaveis, tanto pelo cheiro , como pela coloraçao da agua, isto e um desrepeito ao moradores da regiao, como tambem para a propria natureza, pois ali tambem tem uma nascente muito boa, e estao contaminando tudo ali, FICA UM ALERTA, .......
  • Reportar
  • Responder
  • curtir comentário
Fernando garcia algarte
18h56m PM
Sempre é bom ver nosso município sendo destaque em matérias nacionais, por coisas boas que aqui acontecem. Colocar preço na concientização de pessoas, não sei até onde tem fundamento, pois acões, como essas, não tem dinheiro que pague. Porem, não deixa de ser um incentivo para os preservadores da nossa natureza, mesmo que sejam apenas nossos valorosos produtores rurais, que são os grandes responsáveis pelo sustento da humanidade, através da produção agrícola. Oxalá, toda a população tivesse conciência da falta que vai fazer a humanidade, quando nosso meio ambiente estiver totalmente deteriorado, pois, parcialmente já está. Parabéns ao jornalista Bruno Calixto e a revista Época, pela reportagem, mas, nossos agradecimentos maiores ao nossos produtores rurais, que são, nesse caso, os verdadeiros responsáveis, não apenas pelo projeto, mas, sim pela conciência e responsabilidade na preservação do nosso meio ambiente. Muitos poderão dizer: só isso resolve? Creio que náo, mas, pelo menos eles estáo fazendo sua parte. Vamos todos, tambem, ter-mos a conciencia, de que, juntos podemos mais.
  • Reportar
  • Responder
  • curtir comentário